DOURADOS IMPRESSIONANTE por Anderson Moraes Moreira

Cristãos podem se envolver em manifestações políticas?

Somos chamados a ser embaixadores de Cristo neste mundo, refletindo seu amor e sua verdade em todas as nossas ações

JORNAL O PRECURSOR / ANDERSON MORAES MOREIRA


Imagem internet

Numa sociedade cada vez mais polarizada, o papel do cristão enquanto cidadão ganha uma relevância ainda maior. Em meio a debates acalorados nas redes sociais e decisões políticas controversas, surge a questão: devemos participar ativamente de manifestações políticas em defesa de nossos valores?

A resposta é simples. Além de ser um direito constitucional em muitos países, cristãos provocaram grandes mudanças por meio de protestos pacíficos. É fundamental que os cristãos exerçam seu direito democrático de expressão em participação política. Somos chamados a ser sal e luz no mundo, influenciando positivamente nossa sociedade e defendendo princípios que consideramos fundamentais para uma vida digna e justa para todos.

No entanto, é importante frisar que nossa participação em manifestações políticas deve estar alinhada com os princípios de Deus e com o nosso testemunho como seguidores de Cristo. Manifestar-se em prol de causas que vão contra os ensinamentos bíblicos ou que promovam a violência e o ódio não pode ser justificado.

Somos chamados a ser embaixadores de Cristo neste mundo, refletindo seu amor e sua verdade em todas as nossas ações. Precisamos ser exemplos para a nova geração de homens e mulheres que farão de nosso país um lugar melhor.

Portanto, irmãos e irmãs, ao decidir participar de uma manifestação política, lembremo-nos sempre de buscar a orientação de Deus, agir com sabedoria e discernimento. Que possamos ser agentes de transformação em nossa sociedade, sem jamais comprometer os princípios do Evangelho que tanto valorizamos.

Que não cessem as nossas orações e a graça de Deus nos guie em todas as nossas escolhas e que possamos ser fiéis ao chamado de sermos cidadãos do Reino, mesmo enquanto vivemos neste mundo.

Com esperança e fé, 

Anderson Moraes Moreira