Primos de Campinas que perderam os braços em acidente com pipa sobem juntos ao pódio no Mundial de Natação Paralímpica

Samuel e Tiago Oliveira conquistam prata e bronze, respectivamente, nos 200 medley - categoria SM5

GLOBOESPORTE.COM / REDAçãO DO GE


Primos Tiago e Samuka sobem juntos ao pódio no Mundial de natação — Foto: Alê Cabral/CPB

A tarde desta quarta-feira, 15 de junho de 2022, foi histórica para os primos Samuel e Tiago Oliveira. Sete anos depois de perderem os braços por causa de um acidente com pipa, eles subiram juntos ao pódio no Mundial de Natação Paralímpica, em Portugal.

Samuel, também conhecido como Samuka, de 16 anos, ficou com a prata ao completar os 200m medley (categoria SM5) em 2min59s25, enquanto Tiago, de 21 anos, levou o bronze com o tempo de 3min15s01, depois do turco Koral Kutlu ter sido desclassificado.

De Campinas, no interior de São Paulo, onde os dois nasceram, os parentes se emocionaram com a conquista em família.

- É um sonho que a gente tinha de ver os dois no pódio juntos. Não imaginava que isso seria tão rápido, porque a gente sabe que para chegar no mundial e ser medalhista é dificil. Deus sabe de tudo e realizou esse sonho que eles também tinham. Até o pessoal da competição lá você via que estava torcendo para acontecer esse momento. É surreal - comemorou Jorge Ferreira, pai de Tiago, em contato por telefone com a reportagem do ge.

É a quinta medalha individual de Samuel no Mundial. Ele já tinha sido campeão nos 50m costas, nos 50m borboleta e também no revezamento 4x50m livre, além de ter ficado com a prata nos 50m livre (todas provas na categoria S5 - para pessoas com limitações físico-motoras). Já Tiago debutou em pódios no Mundial.

- O Tiago foi para o Mundial para se colocar no ranking. Ele teve um momento de lesão quando foi para o Praia Clube e ficou dois meses tratando. Ele tem só três meses de treinamento, sei que é muito pouco para um atleta ir para o Mundial e pegar medalha. Mas a gente sabe que ele estava muito bem, que tinha abaixado o tempo dele nas provas e estava no top 10. Hoje, quando ele pegou a medalha a mãe dele quase teve um treco de emoção e as irmãs todas gritando. O treinador dele, Alexandre, me ligou na hora com ele por vídeo, os dois agarrados chorando muito. É uma emoção pra gente ver o Tiago se tornar um medalhista mundial e ser o terceiro melhor do mundo - completou Jorge.

Em janeiro de 2015, os dois tiveram contato com fios de alta tensão enquanto tentavam tirar uma pipa de uma árvore usando uma barra de ferro e receberam uma descarga elétrica de 13 mil volts. Os braços precisaram ser amputados na altura dos ombros.

+ CLIQUE AQUI e relembre a história dos primos em detalhe!

Eles começaram na natação como parte da reabilitação, treinam juntos no Praia Clube, em Uberlândia, e estão no primeiro Mundial.

Depois do quarto dia de competição, o Brasil soma 11 ouros, 8 pratas e 17 bronzes em Portugal, assumindo a terceira posição no quadro de medalhas no mundial. A melhor participação do país aconteceu na Cidade do México, em 2017, quando os nadadores brasileiros subiram ao pódio 36 vezes, com 18 ouros, nove pratas e nove bronzes.

A competição segue até o próximo dia 18 (sábado), sempre com as eliminatórias às 4h (no horário de Brasília) e as finais às 13h. Samuka ainda tem pela frente a disputa dos 100m peito na sexta-feira (dia 17). Tiago, por outro lado, já encerrou a sua participação.

Assista à reportagem do Fantástico sobre os primos Samuel e Tiago: